03 julho 2022

"Quando o Sporting chegar ao 23.º título já está o Rúben Amorim no Benfica. Ganham títulos de 19 em 19 anos. Têm 76 anos para chegar aos quatro títulos"

O Sporting queria passar de 19 para 23 títulos de campeão nacional e sustentou a sua tese com base num estudo histórico. A Federação Portuguesa de Futebol encomendou também um estudo académico que resultaram em dois pareceres a respeito da categorização das provas nacionais, nomeadamente do Campeonato e da Taça de Portugal. Depois, a entidade federativa decidiu promover uma votação junto dos delegados em sede de Assembleia Geral Extraordinária. Só que nenhum dos pareceres passou na votação. Foram chumbados os dois pareceres que resultaram de estudos de académicos e também o estudo do Sporting.O FC Porto era um dos clubes que poderia ter o seu museu mais recheado com títulos caso as pretensões leoninas tivessem tido luz verde. Além dos dragões, outros clubes também poderiam ter essa oficialização. Mas a Assembleia Geral da Federação Portuguesa de Futebol chumbou todos os pareceres.
O Benfica logo se manifestou com satisfação pelo facto de os delegados terem chumbado os processos, enquanto que o Sporting, por seu turno, lamentou que os delegados tivessem negado as pretensões leoninas.
Do lado do FC Porto não houve qualquer reação a respeito desta matéria e Nuno Encarnação, conhecido adepto do FC Porto, assegura que "não há silêncio nenhum" por parte dos campeões nacionais.
E para Alvalade segue uma 'alfinetada'. "Eu acho isto extraordinário. O Sporting queria ganhar neste guichê de secretaria quatro títulos de repente e passar de 19 para 23 com umas lentes de aumento", salientou Encarnação, dizendo que não é "perito em factos arqueológicos".
"Eu não sou perito em factos arqueológicos mas a realidade é esta. Se calhar terão feito as contas e se ganham títulos de 19 em 19 anos têm 76 anos para chegar aos quatro títulos", atirou Nuno Encarnação que comentou ainda uma imagem de Rúben Amorim a apontar para 23 títulos que o Sporting diz ter. A imagem remonta ao tempo em que os leões venceram o campeonato com Rúben Amorim - o 19.º título oficial, que os leões entendem ser o 23.º.
"Isto para mim é ridículo o Rúben Amorim apontar para o 23.º título que não existe, não está oficialmente reconhecido. Se calhar, quando o Sporting chegar ao 23.º título já está o Rúben Amorim no Benfica ou a treinar o Benfica", afirmou Nuno Encarnação, que debatia este tema na CMTV onde Rita Garcia Pereira, antiga dirigente dos leões, saiu em defesa das pretensões do clube de Alvalade.
"Eu acho que não se votam pareceres. E, portanto, acho que aquilo que se passou na Assembleia Geral é um bocado absurdo porque pedem-se pareceres que dão resultados completamente diferentes. Os pareceres não servem para isso. E, portanto, os pareceres servem para auxiliar uma tomada de decisão e não costumam ser em sentidos completamente divergentes", disse a antiga dirigente dos leões.
Por outro lado, Rita Garcia Pereira realça que "qualquer que fosse o resultado, o procedimento em si é absolutamente bizarro". "Não concordo. Acho que tem de ser uma direção suportada efetivamente em pareceres que são técnicos", disse, apontando críticas ao Benfica.
"Não posso deixar de dizer que, ao contrário do que diz o Benfica, não se trata de um revisionismo. Trata-se de se aceitar se o campeonato de 1938/39 era o primeiro ou o 18.º. É nisso que estamos", comentou Rita Garcia Pereira, insistindo nas críticas para o rival e vizinho lisboeta.
"O Benfica tem títulos contabilizados que não são sequer da mesma espécie. Mas aqui não se vê problema nenhum, admito eu", declarou, concluindo: "Discordo de isto ter sido votado nos termos em que o foi e também discordo da decisão do Sporting de ter aceitado este procedimento".

2 comentários:

Regras dos comentários

O Fora-de-Jogo mantém um sistema de comentários para estimular a troca de ideias e informações entre seus leitores, além de aprofundar debates sobre assuntos abordados nos artigos.

Este espaço respeita as opiniões dos leitores, independentemente das suas ideias ou divergência das mesmas, no entanto não pode tolerar constantes insultos e ameaças.

Assim o FDJ não aceita (ou apagará) comentários que:

- Contenham cunho racistas, discriminatórios ou ofensivos de qualquer natureza contra pessoas;
- Configurem qualquer outro tipo de crime de acordo com a legislação do país;
- Contenham insultos, agressões, ofensas;
- Contenham links externos;
- Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;

Não cumpridas essas regras, o FDJ reserva-se o direito de excluir o comentário sem aviso prévio.

Avisos:

- Respeitadas as regras, é livre o debate dos assuntos aqui postados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade civil e penal de seus autores e/ou “reprodutores”, participantes que reproduzam a matéria de terceiros.
- Ao postarem suas mensagens, os comentadores autorizam o FDJ a reproduzi-los no blog;

Não fique Fora-de-jogo nas suas palavras...