11 julho 2018

Alvo do FC Porto rejeita renovação e aponta à transferência; Frederico Varandas aposta tudo na formação (construir dois novos campos, renovar sintéticos e melhorar ginásio); O que falta para Nani voltar a ser leão

O regresso de Nani aos leões está iminente e, nesta altura, só falta mesmo acertar alguns detalhes para concretizar a transferência. O Valencia é o dono do passe do extremo, mas Nani não está nos planos de Marcelino Toral e o clube che não se opõe à saída.
A SAD do Sporting pretende apresentar o jogador nos próximos dias, mas neste momento ainda aguarda um documento essencial à oficialização do negócio: a carta de desvinculação do Valencia.
Para que Nani assine pelo Sporting, é necessário esse último requisito e a expectativa é que os che remetam o documento nos próximos dias, permitindo a Nani e ao Sporting acertar o negócio.
O Valencia, de facto, também não está interessado em protelar o negócio e deu mesmo instruções a Nani para resolver a situação de forma célere, pois não pretende que a situação se arraste. Caso contrário, tem instruções para iniciar a pré-época no Mestalla, apesar de não estar nos planos de Marcelino Toral. 

Frederico Varandas dá mais um passo em frente rumo às eleições de 8 setembro e hoje, na sua sede de campanha, às 16 horas, vai revelar parte do projeto. O candidato à presidência do Sporting vai apresentar as suas ‘traves-mestras’ para o futebol, desde os escalões de formação aos seniores. Com efeito, no programa a que o jornal Record teve acesso, o ex-diretor clínico dos leões vai apostar forte na formação, priorizando reestruturações, em especial na Academia, em Alcochete, e no Polo EUL, no centro de Lisboa.
Na ‘caixa-forte’ dos verdes e brancos, ao que o nosso jornal apurou, Frederico Varandas planeia criar dois novos campos de futebol na ala dos escalões de base, renovar os sintéticos ali instalados e, ainda, melhorar o ginásio. Já no Polo EUL, que alberga os escalões mais jovens dos leões, é identificado como problema a ultrapassar a sobrelotação dos espaços. Por esse motivo, o intuito passa por realocar as equipas de Petizes e Traquinas B para os campos anexos ao Pavilhão João Rocha, enquanto os Traquinas A, Benjamins e Infantis manter-se-iam no Estádio Universitário. Sublinhe-se, ainda, as medidas ‘invisíveis’, como a formação de atletas segundo os valores do clube para que, no futuro, se tornem em referências e capitães da equipa A.
Varandas estará, também, no centro do escalão principal, no qual conta com a ajuda de um trio de confiança: treinador, chefe de scouting (com experiência nesta função) e ‘team manager’ (fará a ponte entre os jogadores, equipa técnica e presidente).
Sublinhe-se, ainda, que deverão ser levadas a cabo mudanças ao nível do Gabinete de Apoio aos Jogadores (GAJ) e no próprio sistema de treinos, com monitorização constante do departamento médico.

Róger Guedes dá uma no cravo e outra na ferradura, mas vai piscando o olho a uma transferência para a Europa. Sem referir diretamente o nome do FC Porto ou de qualquer outro emblema, o brasileiro confirmou ontem, tanto a existência de propostas do estrangeiro, como a rejeição de um aumento salarial oferecido pelo Atlético Mineiro.
"Há ofertas, sim. O Palmeiras até já foi notificado... Vamos ver. Se tiver de sair, saio; se tiver de ficar, fico também, muito feliz. Todos nós esperamos jogar na Europa, então a decisão tem de ser boa", referiu o avançado de 21 anos pelo qual, noticiou a imprensa do seu país, o Palmeiras exigirá algo como 12 milhões de euros: "Todas as direções dificultam um pouco na hora de vender. Conto com a ajuda do Alexandre Mattos (diretor do Palmeiras) e do Atlético para que não haja um transtorno. Se tiver de sair, que seja rápido para ficar tranquilo."
Pelo brasileiro, a indefinição sobre o seu futuro não se arrastará até ao final de agosto e a preferência é que tudo fique claro "na próxima semana ou na seguinte". A "confiança plena" nos seus empresários mantém Róger Guedes "tranquilo", pese embora o facto de ter rejeitado recentemente uma revisão salarial em alta por parte do Atlético Mineiro tenha feito soar alguns alarmes no clube: "Não aceitámos alguns termos. Mas estou feliz aqui. Se ficar, ficarei feliz, mas se tiver de sair também nos vamos entender."
A fechar, o avançado como que afastou a hipótese de se mudar para o Médio Oriente ou para a China e apontou o caminho: "A Europa está ali, com os grandes campeonatos, com a Champions League... É o sonho de qualquer criança."

1 comentário:

  1. Não há paciência e só por 3 milhões! É pouquito

    ResponderEliminar

Regras dos comentários

O Fora-de-Jogo mantém um sistema de comentários para estimular a troca de ideias e informações entre seus leitores, além de aprofundar debates sobre assuntos abordados nos artigos.

Este espaço respeita as opiniões dos leitores, independentemente das suas ideias ou divergência das mesmas, no entanto não pode tolerar constantes insultos e ameaças.

Assim o FDJ não aceita (ou apagará) comentários que:

- Contenham cunho racistas, discriminatórios ou ofensivos de qualquer natureza contra pessoas;
- Configurem qualquer outro tipo de crime de acordo com a legislação do país;
- Contenham insultos, agressões, ofensas;
- Contenham links externos;
- Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;

Não cumpridas essas regras, o FDJ reserva-se o direito de excluir o comentário sem aviso prévio.

Avisos:

- Respeitadas as regras, é livre o debate dos assuntos aqui postados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade civil e penal de seus autores e/ou “reprodutores”, participantes que reproduzam a matéria de terceiros.
- Ao postarem suas mensagens, os comentadores autorizam o FDJ a reproduzi-los no blog;

Não fique Fora-de-jogo nas suas palavras...