08 julho 2017

Os assobios que esperam a Coentrão na Luz. “Se ninguém assobiasse, seria porque não existiam saudades”; Extremo volta a ser associado ao Benfica; Jogadores do Benfica boicotaram gala da Liga?; Salvador Agra não está informado de empréstimo ao Vitória de Setúbal

Salvador Agra falou, esta sexta-feira, da sua transferência para o Benfica confirmada pela agência que o representa. Apesar de a imprensa nacional ter avançado com a transferência a título de empréstimo para o Vitória de Setúbal, o jogador garantiu que "não foi informado de nada".
"Gostava de ter uma oportunidade. Todos os jogadores gostariam de envergar uma camisola como a do Benfica e eu não fujo à regra", disse, à margem da cerimónia do sorteio da Liga 2017/18.
"Não sei o meu futuro, não fui informado de nada. Ainda estou a ver com o meu empresário quais são as soluções. Se fizer um bom trabalho o Benfica estará atento", completou.

Imprensa turca aponta jogador à Luz. Sinan Gümüs, polivalente extremo do Galatasaray, voltou ontem a agitar a imprensa turca, que o colocou ‘a caminho’ do Benfica, desta feita a troco de cerca de 4,5 milhões de euros.

Jogadores premiados boicotaram a gala da Liga? Segundo escreve o jornal A Bola, o treinador e os jogadores do Benfica, Rui Vitória, Nélson Semedo e Pizzi, que foram premiados, esta sexta-feira, falharam a presença na gala da Liga como manifestação de desagrado pelo ambiente no futebol português, silêncio e inércia da presidência da Liga.
Apesar da notícia é de referir que ambos os jogadores estão de férias (Pizzi está de lua-de-mel na Tailândia) e o técnico está a preparar a nova época.

“Coentrão assobiado na Luz? Se ninguém assobiasse, seria porque não existiam saudades”. Fábio Coentrão que se prepare porque os adeptos do Benfica não o vão poupar agora que assinou pelos leões, curiosamente o clube que apoiava na juventude, antes de brilhar ao serviço do Benfica entre 2009 e 2011. A claque No Name Boys já avisou que os assobios esperam o lateral-esquerdo na Luz, numa publicação na rede social Instagram... e que até teve um like de Renato Sanches. E um dos jogadores mais antigos do plantel benfiquista, Salvio, picou o defesa dizendo que jamais trocaria as águias pelo eterno rival, salientando a importância de referências como Luisão, Jardel, André Almeida, Lisandro López e Fejsa.
A centenária rivalidade entre os grandes de Lisboa conhece agora mais um caso de “traição”, sobretudo porque o internacional português chegou a dizer que “assinava já um contrato vitalício” pelo Benfica (2011) e que em Portugal só jogava pelos encarnados (2015). Agora garante que “sempre” foi “feito de Sporting”.
Estar identificado com um dos rivais e passar a jogar pelo outro é uma situação complicada, conta Fernando Mendes, que em 1989 se desvinculou dos leões para assinar pelas águias. “Não foi fácil, mas foi uma decisão que tomei na altura. Tinha oito meses de salários em atraso”, contou ao DN o antigo lateral-esquerdo, 50 anos.
“Estive 15 dias escondido numa casa de Jorge de Brito [presidente do Benfica na altura] em Lagos, na Meia Praia. Houve telefonemas para casa dos meus pais. Depois comecei a fazer a minha vida normal, ainda que tenha deixado de frequentar alguns sítios onde estavam pessoas mais ligadas ao Sporting”, recordou o ex-futebolista internacional português, que esteve na Luz até 1993, ainda que com uma temporada ao serviço do Boavista pelo meio.
A receção no regresso a Alvalade foi tudo menos acolhedora para Fernando Mendes, que ainda assim tira ilações positivas da reação gerada. “Fui muito assobiado. Afinal, fui criado no Sporting, fui para lá com 9 anos. É sinal que têm saudades nossas. Se ninguém assobiasse, seria porque não existiam saudades. Por isso, foi mais ou menos agradável”, analisou o antigo jogador, que acabaria também por passar pelo FC Porto, entre 1996 e 1999. “Quando fui para o FC Porto, foi mais pacífico, porque passei por outros clubes pelo meio”, afirmou o agora comentador, que também representou Estrela da Amadora, Belenenses, Vitória de Setúbal, Montijo e São Marcos. O verão quente de 1993 Caminho inverso fez Pacheco, que deu início ao verão quente de 1993, em que Paulo Sousa também trocou a Luz por Alvalade, um trajeto que João Pinto também esteve perto de fazer naquele ano. Mais de duas décadas depois, o antigo extremo, 50 anos, diz que o seu caso foi mais complicado do que o de Coentrão. “Não é uma mudança direta, não há muito de similar. Se existe alguma polémica foi por ele ter dito que em Portugal só jogava no Benfica. Mas vai ser difícil para ele. É sempre complicado jogar num clube que é rival de outro pelo qual passámos. Isso acabou por marcar a minha carreira”, afirmou ao nosso jornal, sem revelar a “verdadeira razão” por ter rescindido com os encarnados e depois assinado pelos verde e brancos naquele verão.
“Estão pessoas envolvidas. Mas convém ficar claro que eu não troquei o Benfica pelo Sporting. Primeiro, rescindi com o Benfica e só depois fui para o Sporting. Não tinha nada apalavrado quando ainda era jogador do Benfica”, justificou. “Tive algumas situações que não gostei quando estava no Benfica, e disse que a final da Taça de Portugal de 1993 [ganha por 5-2 ao Boavista] seria o meu último jogo pelo clube. Tratou-se de questões internas, que entendi que não devia partilhar, mas não troquei um clube pelo outro. Só quando já estava livre é que assinei pelo Sporting”, aditou, reforçando a ideia.
Também ele antigo internacional português, Pacheco diz que não teve “ameaças concretas”, mas que houve “alguns piropos” devido à mudança, cujo processo se desenrolou de forma secreta até se concretizar. “Ninguém me tentou demover, porque nunca partilhei a história com alguém. Não houve um único colega meu que soubesse da minha intenção”, lembrou.
Embora tenha feito “férias normais” durante esse verão quente, o ex-futebolista foi insultado por adeptos benfiquistas. “O meu nome andava escrito de forma pouco simpática nas ruas de Lisboa, e danificaram dois carros que eu tinha. Quando regressei à Luz, fui recebido como devia pelos benfiquistas, que não gostaram da minha saída e insultaram-me”, recordou o antigo atleta, que também passou por Torralta, Portimonense, Belenenses, Reggiana (Itália), Santa Clara, Atlético e Estoril. 

4 comentários:

  1. O NHAGA foi o representante dos ENCORNADOS na gala.

    ResponderEliminar
  2. Mas quem é que disse k ele ia ser emprestado ao Setúbal? O Vitória? O Benfica? O empresário do jogador?

    Vcs são um blog ou uma revista de intrigas? Ou acreditam em todo o lixo escrito no jornais?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar
  3. Este blog cada vez é mais nojento.....

    ResponderEliminar

Regras dos comentários

O Fora-de-Jogo mantém um sistema de comentários para estimular a troca de ideias e informações entre seus leitores, além de aprofundar debates sobre assuntos abordados nos artigos.

Este espaço respeita as opiniões dos leitores, independentemente das suas ideias ou divergência das mesmas, no entanto não pode tolerar constantes insultos e ameaças.

Assim o FDJ não aceita (ou apagará) comentários que:

- Contenham cunho racistas, discriminatórios ou ofensivos de qualquer natureza contra pessoas;
- Configurem qualquer outro tipo de crime de acordo com a legislação do país;
- Contenham insultos, agressões, ofensas;
- Contenham links externos;
- Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;

Não cumpridas essas regras, o FDJ reserva-se o direito de excluir o comentário sem aviso prévio.

Avisos:

- Respeitadas as regras, é livre o debate dos assuntos aqui postados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade civil e penal de seus autores e/ou “reprodutores”, participantes que reproduzam a matéria de terceiros.
- Ao postarem suas mensagens, os comentadores autorizam o FDJ a reproduzi-los no blog;

Não fique Fora-de-jogo nas suas palavras...