15 julho 2017

Apito Final. Devolvidos os 6 pontos ao FC Porto e Pinto da Costa ilibado 9 anos depois. Dragões já reagiram e pedem atenção a Álvaro Baptista...; Van Wolfswinkel e o que falhou para regressar ao Sporting. "Não quero dizer coisas más sobre o Sporting, porque gosto muito do clube"; O jovem guarda-redes que o Benfica pode contratar

Van Wolfswinkel esteve perto de regressar ao Sporting em 2015. Viajou para Lisboa com uma verba salarial combinada, mas quando chegou à SAD não gostou do impacto dos impostos.
"Passaram-se coisas estranhas...Mas enfim. Eu estava mesmo muito entusiasmado por poder voltar, as coisas não me tinham corrido bem no Norwich, e pensava que estávamos muito próximos do acordo, com o contrato praticamente alinhavado.
Mas, quando cheguei a Alvalade para assinar, as coisas eram diferentes no papel em relação ao que tínhamos conversado. Foi uma má surpresa para mim. Não quero falar mais sobre o assunto, não quero dizer coisas más sobre o Sporting, porque gosto muito do clube", começou por dizer Ricky ao jornal O Jogo.
"Circularam duas versões sobre não ter assinado (que o clube não gostou de ver nas redes sociais a sua ida a uma discoteca e que havia grande diferença no salário prometido por causa dos impostos)? Bem,essa questão dos impostos teve a ver com o facto de não ter assinado. Quando cheguei a Lisboa, fui diretamente para o clube discutir os termos do contrato, nem sequer tive a oportunidade de falar com o treinador. Não assinei, depois fui beber um copo com uns amigos e na manhã seguinte fui embora de avião. Houve problemas financeiros, mas não quero falar mais sobre o assunto", terminou.

O Benfica tem debaixo de olho Mile Svilar, uma jovem promessa do futebol belga. O guarda-redes de 17 anos atinge a maioridade a 27 de agosto e a partir daí pode ser transferido internacionalmente de forma formal, mas a verdade é que o emblema da Luz segue com atenção os passos do jogador, filho de pai sérvio, mas que nasceu em Antuérpia.
Svilar é apontado como uma das maiores promessas em termos europeus no que à baliza diz respeito e os encarnados não querem perder o comboio, embora ainda não se tenham decidido pela contratação, escreve o Record.
O jovem, internacional sub-19 da Bélgica, termina contrato em 2018, passando a ser livre a partir de janeiro, altura em que, face aos 18 anos que já terá, poderá assinar um contrato de duração superior a 3 anos. É possível até que o Benfica espere por esta altura para garantir o jogador, embora aí tenha que contar com o facto de o Anderlecht não querer renovar contrato ou do guarda-redes não aceitar.
De qualquer forma, mesmo que o Benfica avance para Svilar proximamente não significa que não vá ao mercado procurar outro guarda-redes que dê garantias imediatas na baliza e possa entrar na luta com Júlio César e Bruno Varela.
Depois de ter terminado as negociações com o At. Madrid, os encarnados colocaram-se em campo para analisar todas as opções que existem e que podem interessar a Rui Vitória.

Apito Final.  FC Porto e Pinto da Costa absolvidos. O Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) decidiu, em acórdão datado de 5 de julho absolver Pinto da Costa e o FC Porto do caso em que a SAD portista e o dirigente tinham sido considerados culpados de “corrupção da equipa de arbitragem na forma tentada” pela Comissão Disciplinar da Liga, em 2008.
Esse caso, que na altura foi apelidado “Apito Final” e que, na prática, foi a derivação para a justiça desportiva do conhecido processo “Apito Dourado”, teve como consequência a subtração de seis pontos aos dragões no final da época 2007/08, uma multa de 150 mil euros à sociedade azul e branca e uma suspensão de dois anos ao presidente portista.
Com a decisão agora tomada, o CJ arquiva o “Apito Final” e dá como encerrada uma polémica nascida em 2004, quando Pinto da Costa foi acusado de ter recebido em casa o árbitro Augusto Duarte, na véspera de um jogo entre o Beira-Mar e o FC Porto que o juiz da Associação de Braga apitou e cujo resultado foi um empate a zero.
Com base em escutas telefónicas, que também envolveram o empresário António Araújo, o presidente do clube azul e branco viria a ser condenado por “corrupção na forma tentada” pela Comissão Disciplinar (CD) da Liga, liderada por Ricardo Costa, antes de ter sido absolvido pelos tribunais civis no processo “Apito Dourado”.
O CJ sustenta o arquivamento do caso com a “impossibilidade de utilização das escutas em sede de justiça desportiva” e com a “fragilidade do substrato probatório dos processos disciplinares”, cuja base de sustentação a nível de testemunhas assentava no depoimento de Carolina Salgado, ex-companheira de Pinto da Costa, e no livro que esta escreveu, de nome “Eu, Carolina”, cuja credibilidade se revelou insuficiente. O recurso de Augusto Duarte, igualmente considerado culpado pela CD da Liga, de “corrupção na forma consumada”, também teve provimento. “A transposição de escutas dos processos penais para o processo disciplinar instaurado e a sua utilização e valorização nesse foi ilegal”, pode ler-se no acórdão, que sublinha a “flagrante violação do princípio constitucional que restringe essa possibilidade aos processos penais onde se investigam certo tipo de crimes”.
Após a condenação pela CD da Liga, em julho de 2008, a SAD do FC Porto decidiu não recorrer da subtração de seis pontos, uma vez que a apreciação do recurso poderia levar à aplicação da pena na época seguinte (os dragões ganharam o campeonato de 2007/08 com 14 pontos de avanço), mas o CJ também resolveu anular o castigo então aplicado à sociedade portista, que “beneficia da decisão probatória” resultante da absolvição de Pinto da Costa.
“Revoga-se na totalidade o acórdão ora recorrido, absolvendo-se os ora recorrentes e a co-arguidade Sociedade Desportiva ‘FC Porto - Futebol, SAD’ dos ilícitos que lhe eram imputados, determinando-se o arquivamento dos presentes autos de processo disciplinar no que aos recorrentes se refere”, deliberou o CJ.

FC Porto reage dedicando toda sua Newsletter, Dragões Diário, este sábado ao assunto. Dragões apontam o dedo a Ricardo Costa e deixam aviso sobre Álvaro Baptista, que integra o Conselho de Disciplina da FPF, como vice-presidente de José Manuel Meirim. Sobra ainda espaço para dar os parabéns a José Mourinho e Jesualdo Ferreira, treinadores que viram o seu trabalho ser prejudicado pela injusta decisão.

Está reposta a verdade desportiva. Em dezembro do ano passado, transitou em julgado a decisão do Tribunal Administrativo de Lisboa que, em maio de 2011, considerou inexistente o acórdão do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol (CJ da FPF), de 4 de julho de 2008, que negava provimento a um recurso interposto por Jorge Nuno Pinto da Costa relativo às decisões do processo ‘Apito Final’. Recorde-se que a ‘reunião’ desse órgão foi realizada à revelia de quem teria o dever de a presidir e, à data, teve como uma das consequências a confirmação das decisões da Comissão Disciplinar da Liga que determinavam a retirada de seis pontos ao FC Porto (descontados na tabela classificativa de 2007/08) e uma suspensão de dois anos do seu Presidente, para além de outras sanções pecuniárias. Na sequência do trânsito em julgado da decisão que considerava inexistente o acórdão de 2008 por motivos administrativos, o atual CJ da FPF entendeu que continuava por julgar a matéria de facto que justificava aquela reunião, ou seja, o recurso apresentado por Pinto da Costa. Fê-lo ao longo dos últimos meses, e acabou por dar como não provadas as acusações de corrupção desportiva no jogo Beira-Mar-FC Porto de 2003/04. Como consequência, foram anuladas todas as sanções aplicadas quer ao FC Porto – que recupera os seis pontos que lhe foram indevidamente retirados na classificação de 2007/08 –, quer ao seu Presidente.

Razão ao retardador
Quando, em maio de 2008, o FC Porto anunciou que não recorreria da pena de perda de seis pontos imposta pela Comissão Disciplinar da Liga, poucos compreenderam essa decisão. Na altura, a SAD considerou que seria preferível que essa subtração tivesse impacto numa época em que o clube foi campeão com 20 pontos de vantagem do que arriscar, em sede de recurso, nova decisão injusta que incidisse na classificação das temporadas seguintes. Para além disso, entendia-se que o recurso apresentado por Pinto da Costa, versando a mesma matéria de facto, implicaria necessariamente o clube. Nove anos depois, isso confirma-se: a absolvição do Presidente teve como consequência a absolvição do FC Porto.

Mais um furo na credibilidade
A justiça tarda, mas por vezes chega mesmo. A decisão que hoje conhecemos é uma derrota para todos os pseudo-justiceiros que, à margem da legalidade, mas sobretudo da decência, procuraram denegrir a imagem do FC Porto e de todos os que o servem, colocando em causa o mérito desportivo da única equipa que, ao longo dos últimos 50 anos, teve capacidade para prestigiar o futebol português através da conquista de títulos internacionais. Entre essas figuras, é impossível não destacar Ricardo Costa, popularmente conhecido como ‘o benfiquista de Canelas’, que vê, uma vez mais, a sua sanha justiceira tornar-se improcedente e inconsequente. Este acórdão do CJ da FPF desfere um golpe certeiro e decisivo na fundamentação jurídica que artificialmente construiu para tornar o seu exercício de funções na Comissão Disciplinar da Liga uma extensão do seu fanatismo clubístico.

Para estar atento
Álvaro Baptista era um dos elementos do CJ da FPF que, perante a ausência do seu presidente e de outro dos seus membros, decidiu prosseguir uma ‘reunião’ onde seriam tomadas decisões muitíssimo relevantes sobre o futebol português, num ato que viria a ser confirmado pelos tribunais como uma aberração administrativa. Foi, mesmo, o 'pseudo-presidente' e porta-voz desse órgão que, já de madrugada, anunciou as suas deliberações à comunicação social. Atualmente, integra o Conselho de Disciplina da FPF, como vice-presidente de José Manuel Meirim para o futebol não profissional. Para além disso, é deputado do PSD, e foi um dos autores da proposta que tinha como objetivo o esvaziamento de poderes da Liga (nomeadamente no que toca à elaboração de regulamentos de disciplina e de arbitragem) e a sua transferência para a FPF – um caso flagrante de conflito de interesses. Álvaro Baptista parece ser uma daquelas personagens que, à sombra da ausência de qualquer notoriedade pública, se vão mexendo aqui e ali e influenciando a tomada de medidas que se podem revelar estruturais para o futebol português. É, sem dúvida, uma figura a seguir.

Para felicitar (I)
A justiça desportiva, com alguns anos de atraso em relação à justiça civil, acabou por confirmar aquilo que qualquer adepto de futebol em plena posse das suas faculdades intelectuais já sabia: a equipa do FC Porto que se sagrou campeã europeia em 2003/04 não precisava de ajudas externas e ilegítimas para empatar em casa do último classificado da Liga (sim, porque convém nunca esquecer que o que estava em causa nestes processos era a suposta corrupção da equipa de arbitragem que dirigiu um confronto entre primeiro e último classificados do campeonato que até terminou empatado a zero). Por mais este reconhecimento da valia desportiva da equipa que dirigiu, não há nada mais justo do que felicitar José Mourinho.

Para felicitar (II)
Jesualdo Ferreira teve o mérito de liderar o grupo do FC Porto que, em 2007/08, se tornou o campeão com a maior vantagem sobre o segundo classificado da história da Liga portuguesa: 20 pontos (mais tarde, André Villas-Boas bateria esse recorde por um ponto). Durante quase dez anos, essa supremacia conquistada no campo, na luta contra os adversários e contra quem sempre tentou prejudicar o FC Porto, foi formalmente reduzida a 14 pontos. A decisão do CJ da FPF repõe a verdade desportiva, e por isso felicitamos o ‘mister’ Jesualdo. Não por ter ganho, agora, seis pontos – porque esses disputou-os e venceu-os nos relvados –, mas por, finalmente, lhe ser devolvido aquilo que lhe foi roubado, honrando o mérito de uma das melhores equipas da história do futebol português.

23 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querias tu dizer que ser benfiquista é ser CORRUPTO.
      Esperemos que o atual caso dos mails seja tão investigação.

      Eliminar
    2. Caro Tripeiro corrupto, esperemos que um dia aprendas a comunicar em Português.

      Eliminar
    3. Ser do BOIFICA é o que explica-me lá é que os e-mails não enganam ninguém só aqueles que têm palas ou não querem ver a realidade. Tanto gostavam de atacar com corrupçao aqui e ali que acabaram por partir o próprio telhado de vidro. HABEMUS CORRUPTOS. Agora já sabes apaga tudo

      Eliminar
    4. O facto é que apenas com palas azul corruptas ou verde osga se consegue ver corrupção nuns e-mails que até agora nem investigados foram. O carimbo de corrupto é privilégio da tripeirada. Bem sei que tens vergonha da história do teu clube mas, azar, foi assim que ganharam títulos. E esse facto ninguém apaga.

      Eliminar
    5. Consegues ver corrupção no Porto e no Sporting mas os e-mails são mentira? Típico adepto do fascismo. O Porto então deduso que também ganhou competições europeias com corrupção? Lembra-te que na Europa só o PORTO viste vencer. Fica lá com um teu clube vermelho corrupto e continua a seguir cartilhas só isso sabeis seguir.

      Eliminar
    6. No Porto não vejo corrupção, no Porto há corrupção. A presidência do Pintinho terá sempre essa marca. E engraçado que fales de fascismo enquanto o Chiquinho usa as melhores técnicas pidescas no Porto Canal.
      Qto às vitórias europeias do Porto convém não esquecer as abitragens amigas e negociadas antes das semanas europeias de 2004.
      E lembro-me tb que o Porto conseguiu ter cinco jogadores a correr atrás do árbitro sem que um único amarelo fosse mostrado. Assim se fez um multicampeão.
      E com isto se volta ao início, vires para aqui falar de corrupção é não teres a pura de vergonha na cara.
      Mas pronto, de quem agride um steward e se faz de vítima só se pode esperar isto.

      Eliminar
  2. Basta ouvir as escutas e está tudo dito. É como ser apanhado a roubar por uma câmara de vigilância e não contar como prova. A justiça ao mais alto nível. Tripeiros Corruptos.

    ResponderEliminar
  3. Lol estes tripeiros acham que por serem absolvidos por tecnicalidades anula o que fizeram é que ficou comprovado! Que toda a gente ouviu e leu...e que podemos ver qd quisermos.
    Podem continuar a tentar colocar se do lado dos correctos e acusar os outros do que são...
    Mas as pessoas não são burras. O FC Porto ganhou com base na corrupção! Provado, comprovado, e culpado.
    O resto é artimanhas de advogados.

    Corruptos! Corruptos! Corruptos!

    ResponderEliminar
  4. Já começou as dores de corno dos ENCORNADOS.
    Elas aí estão, depende do gosto do freguês, a 200 ou a 400. Depende sempre dos VOUCHERS.
    CONVÉM ESTARMOS ATENTOS AOS PADRES. A MISSA AINDA VAI A MEIO CAMINHO.
    QUE PASSOU-SE?????????
    O NHAGA E O PRIMEIRO MINISTRO, VÃO TER UM ATAQUE CARDÍACO.
    PERGUNTEM AO PEDRO GUERRA OU AO RUI GOMES DA SILVA, CASO NÃO SURJA EFEITO, TÊM A CARILINA SALGADO A TAL DOS 200 OU 400.

    ResponderEliminar
  5. O andrades julgam que somos todos parvos e não vimos e ouvimos o que se passou durante os 30 anos de roubalheira do Pintos (Pinto da Costa, Adriano Pinto e Pinto de Sousa).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar
  6. Eles bem querem colar os e-mails às escutas e ao apito dourado mas não conseguem. Porque uma vez corruptos, corruptos toda a vida. Esta nódoa da vossa estoria ninguém apaga. Porto igual a corrupção.

    ResponderEliminar
  7. Isto não altera as escutas que estão no YouTube. Em qualquer altura podemos ouvi-las, não à volta a dar... Tida a gente sabe o que o fcp anda ou a fazer durante largos anos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Andam os ROTOS a falar dos mal REMENDADOS!

      O Orelhas ladrão de camiões e presidente do boifica, também foi acusado por ter escolhido árbitros como é dito nestes links e já se sabia que tinha participado no Apito Dourado.Só não foi incomodado, porque tem os PJs que fazem sempre parte da sua comissão de honra nas eleições, bem controlados e as investigações nunca chegam ao fim.O polvo vermelho tem grandes tentáculos!!!

      http://mafiadobenfica.blogspot.pt/2012/07/o-mafioso-joao-ferreira-escolhia.html

      https://www.youtube.com/watch?v=ZmHvxkU6np0

      Eliminar
  8. Agora sabemos a razão pela qual inventaram toda esta intentona dos emails e dos sms que era para poderem ser absolvidos num processo vergonhoso sem que a pessoas reajam com sentimentos de jogo nem alarme social. As pessoas não são surdas, têm memória e não esqueceram.
    Tudo preparado pelo presidente da FPF, o tal dos bilhetes das "deusas", que é um ex-dirigente portista envolvido também no sistema do Apito Dourado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os e-emails são inventados?!

      Ó lampião estúpido! Nem sequer sabes distinguir o verdadeiro do falso!

      Que desgraçadito tu és!

      Os encartilhados têm dado cabo de ti e doutros, possuidores duma mentalidade de galinha!

      Os e-emails são tão verdadeiros como são as escutas do AD.

      Mas que grande NÈSCIO saiu este parvalhão encornado!

      Eliminar
  9. Estes benfiquistas são uns patetas!

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  11. Na realidade os actos criminosos cometidos por Pinto da Costa ficaram comprovados perante a justiça civil quer desportiva e opinião pública através das escutas efectuadas durante a investigação do processo "Apito Dourado". O conteúdo das escutas foi reconhecida pelos próprios arguidos em tribunal; inclusive perante a justiça desportiva.
    Em conclusão os crimes foram cometidos e provados; mas tendo em conta a legislação da altura que enquadrava os crimes de corrupção activa e que tinha como pena máxima três anos de prisão; as escutas eram legais durante a investigação, mas não poderiam ser utilizadas como meio de prova. E foi precisamente e unicamente nesse ponto que se agarrou e baseou a defesa do Fruta Corrupção do Porto e dos seus dirigentes. Dai a não condenação dos criminosos, não porque são inocentes, mas por motivos de ordem processual.

    Foi precisamente por causa deste caso que logo a seguir e perante e evidência dos crimes cometidos pelo Fruta Corrupção do Porto e seus dirigentes que os legisladores mudaram a lei; levando que a penalização do crime de corrupção seja acima do limite de três anos de forma a que escutas poderem ser utilizadas como prova; já que dificilmente se consegue fazer prova sem as mesmas.

    Os crimes cometidos por Fruta Corrupção do Porto e seus dirigentes há luz da lei de hoje, teriam sido EFECTIVAMENTE CONDENADOS.

    PJ "APITO DOURADO" MP

    ResponderEliminar
  12. Agora os que ouviram as escutas vão ser condenados...

    ResponderEliminar
  13. Sobre esta decisão vergonhosa só existem duas opções: OU RIR MUITO ou MANDAR TUDO PARA BARDAMERDA. Uma coisa é certa. NÃO APAGARÃO A HISTÓRIA E AQUILO QUE TODOS OUVIMOS VIMOS E LEMOS

    ResponderEliminar
  14. Espero que esta decisão, não tenha saído agora, para justificar a não sanção dos e-mail's, não podem agora os amiguinhos instalados, das revisões de notas, informações privilegiadas, meninos bons, padres e primeiros ministros etc. deixarem de ser punidos com argumentos semelhantes aos agora invocados. Podem agora dizer que as escutas não valem, restituir pontos, dizer que os e-mails não tem igualmente validade, mas todos ficámos a saber que muita batota tem havido e que a verdade desportiva à muito que é adulterada em benefício destes dois clubes. Uma coisa é certa a partir de agora, estes vão ser mais vigiados e a batota vai ser mais difícil, de qualquer modo era bom que toda esta informação fosse enviada às instâncias Europeias UEFA e FIFA, pois estas pelo menos obrigavam a uma isenção da federação e conselho de disciplina que acredito, neste momento não haver!

    ResponderEliminar

Regras dos comentários

O Fora-de-Jogo mantém um sistema de comentários para estimular a troca de ideias e informações entre seus leitores, além de aprofundar debates sobre assuntos abordados nos artigos.

Este espaço respeita as opiniões dos leitores, independentemente das suas ideias ou divergência das mesmas, no entanto não pode tolerar constantes insultos e ameaças.

Assim o FDJ não aceita (ou apagará) comentários que:

- Contenham cunho racistas, discriminatórios ou ofensivos de qualquer natureza contra pessoas;
- Configurem qualquer outro tipo de crime de acordo com a legislação do país;
- Contenham insultos, agressões, ofensas;
- Contenham links externos;
- Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;

Não cumpridas essas regras, o FDJ reserva-se o direito de excluir o comentário sem aviso prévio.

Avisos:

- Respeitadas as regras, é livre o debate dos assuntos aqui postados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade civil e penal de seus autores e/ou “reprodutores”, participantes que reproduzam a matéria de terceiros.
- Ao postarem suas mensagens, os comentadores autorizam o FDJ a reproduzi-los no blog;

Não fique Fora-de-jogo nas suas palavras...