11 dezembro 2016

"Para sossego de alguns não tenciono ser candidato à presidência do Sporting mas espero uma alternativa"; Acórdão da UEFA no 'caso vouchers' vai contra a SAD do Sporting

Rui Barreiro não será candidato à presidência do Sporting mas espera que existam alternativas. Foi o próprio que anunciou, no seu artigo de opinião no jornal O Jogo.
"Para sossego de alguns, resta-me acrescentar, em primeira mão aqui no jornal O Jogo, que não tenciono ser candidato à presidência do Sporting Clube de Portugal, mas espero que surja uma alternativa que permita aos sócios fazer uma escolha em consciência e de acordo com os pergaminhos do nosso clube", escreveu Rui Barreiro no seu artigo de opinião no jornal O Jogo. Pelo meio o conselheiro leonino deixou muitas críticas:
"Infelizmente, nem na Polónia conseguimos empatar e saímos de cabeça baixa das competições europeias. O nosso actual lugar no ranking europeu não é aceitável para um sportinguista que se preze e se atendermos a alguns discursos de “embalar” ainda parece pior, dada a velocidade vertiginosa da descida. Mais uma época europeia desportiva e financeiramente deplorável. Ficar em segundo lugar na época passada mereceu um estranho festejo. Com a nossa prestação, que terminou na quarta-feira, perdemos prestígio e o dinheiro foi-se. Jogámos bem em Madrid durante quase todo o jogo e depois... Ganhámos um jogo neste grupo! Não era importante este jogo? E falamos dos outros sem vergonha das nossas “prestações”? Qual é o interesse de falar nos outros quando temos prestações abaixo do exigível? Pretendemos distrair quem? Qualquer jogador quer jogar nos grandes palcos, não basta subir condições financeiras, muitos dos jogadores também fazem as suas opções em função das competições onde os clubes estão inseridos. Sou do Sporting, mas não me peçam que faça parte da “corte”. Este era um jogo para ser jogado com os nossos melhores, nas posições onde mais rendem e sem “invenções”. Mas não foi assim que foi entendido. Na verdade, alguém me devia explicar o sistema de jogo onde Paulo Oliveira, Gelson e Bruno César (a este quase já só falta ser guarda-redes) foram colocados em campo com missões no mínimo estranhas face às necessidades da equipa, desarticulando-a e facilitando o trabalho do Légia. Aliás, as mudanças na segunda parte só mostraram as asneiras cometidas na primeira. Não conheço os objectivos traçados pela administração da SAD, mas eu, sportinguista, não aceito a menorização da participação europeia."

Acórdão vai contra a SAD leonina. O acórdão que sustenta a decisão da UEFA em não instaurar um processo disciplinar ao Benfica, no âmbito do caso dos vouchers oferecidos a árbitros, delegados e observadores nos jogos disputados como visitado, contraria a versão apresentada pelo Sporting, de que não teria havido uma rejeição por parte do organismo à queixa da SAD verde e branca. A decisão vem expressa no capítulo V e convida os dirigentes leoninos a apelar da mesma para o Comité de Controlo, Ética e Disciplina da UEFA: “Após cuidadosa avaliação da queixa, chegou-se à conclusão de que não deve ser aberto um procedimento [disciplinar] e a queixa deve ser devolvida ao queixoso. [...] Esta decisão é passível de apelo para o Comité de Controlo, Ética e Disciplina da UEFA no prazo de cinco dias após a notificação.”
Ora, esse foi o procedimento do Sporting, que apresentou o mencionado recurso. Contactado pelo jornal O Jogo, o diretor de comunicação do Sporting, Nuno Saraiva, manteve a posição expressa na véspera, em declarações ao canal do clube. Para os leões, a decisão do organismo resulta do enquadramento que a UEFA fez da situação, levando em conta que está em curso um inquérito em Portugal. A decisão, para os responsáveis leoninos, não tem subjacente o arquivamento nem rejeição, pelo que procuram que a polémica gerada pela denúncia do presidente do Sporting não caia em saco roto junto da UEFA, o que acontece para já.

6 comentários:

  1. O Carnide no espaço dum ano mudou completamente de paradigma e de argumentos. Senão vejamos:

    - primeiro era mentira que houvessem vouchers
    - depois que alguns árbitros disseram tê-los recebido, mas não os terem
    utilizado, mudaram e passaram a argumentar que não ultrapassavam os
    limites impostos pela UEFA.Quer dizer que passaram a aceitar o facto
    como verdadeiro.

    Durante este último ano, os boificas têm andado sempre atrasados em relação à argumentação do Sporting, que nunca os acusou de corrupção e que se limitou simplesmente a demonstrar, que afinal os vouchers existiam e que eram recebidos pelos árbitros.

    A defesa estereotipada apresentada pelos gajos que estão à frente do Carnide, provou mais uma vez que estão prontos a tudo para ganhar, seja a apresentar títulos que nunca ganharam, mesmo na situação de serem incapazes de exibirem os respectivos troféus, indo até ao ponto de oferecer jantaradas aos árbitros, mais aos seus familiares e amigos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. N és o mais intelegente lá de casa pois não?

      Eliminar
    2. Apresentar títulos nunca conquistados? Isso não me é estranho, não sei porquê...

      Eliminar
  2. Que pena o Barreiro não ser candidato...tinha curiosidade em saber se conseguiria ter melhor votação que o Severino nas últimas eleições.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  4. Portanto o Benfica, que não é Carnide, nunca negou a existência de vouchers, mas alguém desonesto começa por argumentar que negou. Começa bem. O Benfica sempre afirmou que eram ofertas de cortesia e que ad mesmas não excediam os limites impostos. Houve julgamento que determinou que era assim. Qual era o caso mesmo? Ah, títulos não ganhos, mas contabilizados. Quer mesmo ir por aí e cair no ridículo?

    ResponderEliminar

Regras dos comentários

O Fora-de-Jogo mantém um sistema de comentários para estimular a troca de ideias e informações entre seus leitores, além de aprofundar debates sobre assuntos abordados nos artigos.

Este espaço respeita as opiniões dos leitores, independentemente das suas ideias ou divergência das mesmas, no entanto não pode tolerar constantes insultos e ameaças.

Assim o FDJ não aceita (ou apagará) comentários que:

- Contenham cunho racistas, discriminatórios ou ofensivos de qualquer natureza contra pessoas;
- Configurem qualquer outro tipo de crime de acordo com a legislação do país;
- Contenham insultos, agressões, ofensas;
- Contenham links externos;
- Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;

Não cumpridas essas regras, o FDJ reserva-se o direito de excluir o comentário sem aviso prévio.

Avisos:

- Respeitadas as regras, é livre o debate dos assuntos aqui postados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade civil e penal de seus autores e/ou “reprodutores”, participantes que reproduzam a matéria de terceiros.
- Ao postarem suas mensagens, os comentadores autorizam o FDJ a reproduzi-los no blog;

Não fique Fora-de-jogo nas suas palavras...