07 outubro 2016

O karma de Jorge Jesus; Benfica e FC Porto entre os 10 melhores da UEFA. Sporting em 54º; Sporting avança com processo; Peditório para processar o Benfica

Azar ou coincidência, a verdade é que Jorge Jesus parece ter um karma que se prende com os últimos minutos dos jogos. Se partirmos do momento em que assumiu o comando do Benfica (2009/10), o técnico viu as suas equipas perder ou empatar 21 jogos devido a golos sofridos nos últimos dez minutos. E em 16 dessas partidas consentiu golos nos últimos cinco minutos.
Manuel Cajuda, um dos mais experientes treinadores portugueses, com 506 jogos na I Liga, lembrou ao jornal DN que "Jesus tem feito um trabalho de excelência nos últimos dez anos", mas admitiu que "todos os trabalhos têm os seus problemas".
Nesse sentido, diz que "há vários fatores" que podem explicar os golos sofridos no final por parte do Sporting já este ano. Apelando à sua experiência, Cajuda lembra que "às vezes o treinador leva tempo a perceber o que está a acontecer no campo", algo que diz poder ter acontecido aos leões em Guimarães, onde houve um fator que aponta como decisivo para que os leões perdessem a vantagem de 3-0: "Houve um bloqueio coletivo dos jogadores e da equipa técnica. Acontece, são todos humanos."
Olhando para o passado, o karma de Jesus começou na primeira época no Benfica, num jogo da Liga Europa, na Luz, no qual Ben Arfa marcou ao minuto 90 o golo do empate do Marselha, que obrigou os encarnados a esforços redobrados na segunda mão. Em 2010/11, foram cinco jogos para a Liga que se revelaram fatídicos para ficar a 21 pontos do campeão FC Porto.
Na época 2011/12, viu-se irremediavelmente ultrapassado no primeiro lugar no clássico com o FC Porto, na Luz, devido a um golo de Maicon (87"). Dias depois foi Raúl Meireles no tempo extra a confirmar a eliminação do Benfica na Champions, no campo do Chelsea. O pior veio na época seguinte, na qual perdeu três títulos numa semana nos instantes finais. Começou no Dragão com o famoso golo de Kelvin (90"+2) que custou o título, depois na final da Liga Europa foi Ivanovic (90"+3) a permitir ao Chelsea levantar o troféu e, finalmente, Ricardo Pereira prolongou o trauma na final da Taça de Portugal ganha pelo V. Guimarães.
No último ano na Luz os golos sofridos no final de três jogos não foram nefastos, pois coincidiram com escorregadelas do FC Porto.
Com a mudança para o Sporting, Jorge Jesus levou consigo esse karma. Na época passada, viu Musa, do CSKA Moscovo, tirar-lhe a possibilidade de disputar a fase de grupos da Champions. E cedeu dois empates - Paços de Ferreira e Tondela - que foram decisivos na luta pelo título com o Benfica.
Este ano a história mantém-se, com o empate em Guimarães depois de ter estado a vencer 3-0. E quando Cristiano Ronaldo e Morata marcaram dois golos após o minuto 89, que impediram o Sporting de fazer história em Madrid. Cajuda lembra que neste jogo "Jesus não estava no banco" e vai ao baú das memórias para dizer que "muitas vezes dizia aos jogadores que era o momento de atirar a bola para fora e de ver amarelos porque a vitória era importante". "Não sei se Jorge Jesus faria isso em Madrid, pois não estava no banco para decidir."
O que deve fazer um treinador para ultrapassar estas situações? Cajuda volta a usar um exemplo seu: "Em Braga perdi a ida à final da Taça, em casa, perante o Leixões. E na quarta-feira seguinte jogava com o Paços de Ferreira. Estávamos destroçados, sem vontade de jogar, e disse aos jogadores para irem para o campo e que jogassem mal, porque era impossível jogar bem, que eu depois assumiria as responsabilidades. Acabámos por ganhar, mas eu tinha de dar a cara por eles", recordou.
Sabendo que há várias causas para este tipo de situações, Manuel Cajuda assume a responsabilidade dos treinadores: "Nós não expressamos publicamente, e eu falo por mim, mas nós também cometemos erros." E deixou ainda mais uma pista que pode ser importante: "Em Madrid e em Guimarães o Sporting sofreu os golos quando o capitão Adrien Silva não estava em campo."

Ação judicial. Jaime Marta Soares, na qualidade de presidente da Assembleia Geral do Sporting, deu instruções ao departamento jurídico do clube para que avance com uma ação judicial, «por calúnia e difamação», contra André Ventura, adepto do Benfica e comentador televisivo, na sequência das declarações por este proferidas sobre a última reunião magna dos leões.
«As informações proferidas por este senhor, afeto ao Sport Lisboa e Benfica, são de enorme gravidade pelo que não podem passar impunes e ele terá de responder por elas no local próprio», salientou Jaime Marta Soares, citado por um comunicado divulgado no site oficial do clube, esclarecendo que a Assembleia Geral em causa «demonstrou inequivocamente a coesão e a dinâmica que neste momento se vive no Sporting».

Peditório. O Vasteras decidiu promover, nas redes sociais, uma campanha de angariação de fundos para suportar as custas do processo movido contra o Benfica junto da FIFA, relacionado com uma alegada dívida de 250 mil euros da SAD encarnada referente à transferência de Victor Lindelof.
O clube sueco estima que os custos da batalha jurídica – apelidada de luta de David contra Golias – possam ascender às 100 mil coroas suecas, sensivelmente 10,4 mil euros, pelo que apela ao apoio dos adeptos para amealhar a verba em causa.

Nos 10 melhores da UEFA. A UEFA anunciou o ranking dos clubes com maior número de participações na Liga dos Campeões e há dois portugueses no top10.
O Benfica é o melhor emblema luso desta tabela, ocupando o 7.º lugar, com um total de 264 pontos, fruto dos dois títulos conquistados e das suas 36 presenças.
Imediatamente a seguir vem o FC Porto, no 8.º posto, com um total de 247 pontos, 31 presenças e os mesmos dois títulos das ‘águias’.
O Sporting é o pior classificado dos três grandes portugueses, surgindo no 54.º lugar com 20 presenças que lhe valeram um total de 64 pontos.
A tabela é liderada pelo Real Madrid, emblema que já levantou o caneco em 11 ocasiões e soma 544 pontos. O Bayern segue na sua peugada, com 423 pontos e cinco títulos. A fechar o pódio, surge o Barcelona, com 27 presenças e 393 pontos.

8 comentários:

  1. EM QUE LUGAR ESTÁ A MAIOR
    IMPOTÊNCIA DESPORTIVA NACIONAL ???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paga mas é os 250 mil que deves.

      Eliminar
    2. E quem é que diz que o tricampeão nacional deve alguma coisa ao Vasteras?
      A pagar, isso sim, que seja pelos melões semeados no alvalidl ao longo destes 3 ultimos anos.

      Eliminar
    3. Ó VORMELHO das 00:27.

      Vocês só têm mais títulos no futebol! E alguns foram ganhos com a compra de árbitros e aqueles que vos deu o MERDAIL em 2006!

      Como o desporto não é só futebol - longe disso - a maior potencia do desporto nacional é o Sporting, que tem mais títulos em todas as modalidades juntas, que os boificas e andrades juntos.

      Cala-te boifica! Não venhas conspurcar a Net com a tua Azia!

      Demonstras que és apenas um futeboleiro e da pior espécie.

      Eliminar
    4. Até podia pegar nos quadros que demonstram a percentagem de títulos vencidos nas modalidades, nos últimos anos, por cada clube, mas isso era coisa para te por a chorar. E tu, como tremendo apoiante das modalidades do teu clube, aposto que foste para o Marques festejar o campeonato nacional de padel. Aliás, não sei porque aprovam um orçamento tão grande para o futebol, se o que interessa são as restantes modalidades. Salto de cu para a piça, xadrez partidas rapidas em polo Lacoste, jogo da malha, é tudo Sperding!

      E realmente, estou com uma azia do caralho, não tenhas dúvidas. Ver o meu clube ser o atual tricampeão, enquanto o teu chafurda na merda há mais de 15 anos, é coisa para me deixar bem aziado. Agora a minha pergunta para ti, paulinho, é a seguinte: é só falta de noção ou isso é doença?

      Eliminar
    5. 3 lugar. Que é o lugar do Zbording

      Eliminar
  2. Desportiva, DESPORTIVA!
    Quando a capacidade para pensar é limitada, até nas supostas "piadolas" ficam mal.
    Que tristeza.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu és um deles. Incapacitado.

      Eliminar

Regras dos comentários

O Fora-de-Jogo mantém um sistema de comentários para estimular a troca de ideias e informações entre seus leitores, além de aprofundar debates sobre assuntos abordados nos artigos.

Este espaço respeita as opiniões dos leitores, independentemente das suas ideias ou divergência das mesmas, no entanto não pode tolerar constantes insultos e ameaças.

Assim o FDJ não aceita (ou apagará) comentários que:

- Contenham cunho racistas, discriminatórios ou ofensivos de qualquer natureza contra pessoas;
- Configurem qualquer outro tipo de crime de acordo com a legislação do país;
- Contenham insultos, agressões, ofensas;
- Contenham links externos;
- Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;

Não cumpridas essas regras, o FDJ reserva-se o direito de excluir o comentário sem aviso prévio.

Avisos:

- Respeitadas as regras, é livre o debate dos assuntos aqui postados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade civil e penal de seus autores e/ou “reprodutores”, participantes que reproduzam a matéria de terceiros.
- Ao postarem suas mensagens, os comentadores autorizam o FDJ a reproduzi-los no blog;

Não fique Fora-de-jogo nas suas palavras...